Obesidade no isolamento social | O TEMPO

0
15

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

A obesidade é uma doença crônica com maior vulnerabilidade às complicações da Covid-19, pois, geralmente, é associada a diabetes, hipertensão, doenças cardíacas e doenças pulmonares, promovendo alterações hormonais, levando a um sério estado inflamatório e agravando o quadro para internação e necessidade de ventilação mecânica. O serviço de saúde de Londres apontou que, a cada dez pacientes internados em UTI por causa do coronavírus, sete têm excesso de peso. No Brasil, também se observa mais pacientes internados por Covid-19 com excesso de peso, porém ainda não existem dados concretos e conclusivos.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Minas Gerais (SBEM-MG) – alerta que os obesos devem ficar atentos à medicação prescrita, cuidados alimentares, atividade física e consultar o médico em caso de dúvidas, mesmo no período de isolamento social.

A pandemia demanda um cuidado redobrado, não só com a higiene, mas também com a alimentação. A manutenção das condições nutricionais em dia com um consumo adequado de alimentos saudáveis e água potável garante o fortalecimento do sistema imunológico para a manutenção e a recuperação da saúde.

A obesidade é uma doença universal, sendo um dos principais problemas de saúde pública e considerada a segunda causa de morte que pode ser evitada, perdendo apenas para o tabagismo. Cerca de 20% dos brasileiros são obesos e 55% estão acima do peso. A incidência da obesidade é maior em quem tem menos de 40 anos, e a internação requer mais cuidados pessoais, aparelhagem, dificuldade de movimentação. Cerca de 30% das pessoas com sobrepeso e 50% das obesas são internadas por causa de alguma complicação.

As causas da obesidade e do sobrepeso são muitas, como a disponibilidade de alimentos com elevada densidade energética, ou seja, ricos em gordura e o estilo de vida sedentário. À medida que o peso aumenta, podem surgir uma série de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, colesterol alto, doenças cardiovasculares (infarto, derrame), doenças osteoarticulares e apneia do sono, podendo acelerar o processo de envelhecimento. A obesidade ainda compromete a autoestima e a sociabilização.

Neste período de isolamento social, não se deve descuidar dos exercícios físicos, nem da alimentação. Fazer atividades de baixo impacto, alongar-se e, até mesmo, baixar tutoriais na internet com dicas de exercícios físicos são bons exemplos nesta fase de quarentena. Quem está em tratamento, deve seguir à risca as recomendações do médico. Para quem não está, a sugestão é reduzir em 30% os alimentos de cada refeição, tomar mais água e evitar bebidas alcoólicas.

Os obesos e quem estão com sobrepeso devem ficar atentos durante a pandemia. É fundamental manter um estilo de vida saudável e que, não só melhore a saúde física, mas proporcione uma autoestima elevada.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda