Baixada Santista recebe respiradores do estado até domingo | Santos e Região

    0
    12

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O Governo do Estado de São Paulo assumiu o compromisso de enviar até este domingo (31) para a Baixada Santista parte dos respiradores solicitados pelos prefeitos da região. O objetivo é ampliar a oferta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento da Covid-19 e reduzir a taxa de ocupação dos hospitais. Ainda não há confirmação de quantas unidades serão enviadas.

    A informação foi divulgada pelo prefeito de Santos, no litoral paulista, e presidente do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), durante entrevista à imprensa na noite desta terça-feira (26), após participar de videoconferência com o governador João Doria (PSDB).

    O estado recebeu 333 respiradores importados da China e da Turquia nesta terça. No total, já são 443 respiradores adquiridos pelo Governo do Estado. Ainda está sendo definido quantos equipamentos serão encaminhados à Baixada Santista, para serem distribuídos às nove cidades da região. O Condesb solicitou 137 respiradores há mais de um mês.

    Paulo Alexandre Barbosa, presidente do Condesb, falou sobre medidas de combate ao novo coronavírus na Baixada Santista — Foto: Alexsander Ferraz/A Tribuna Jornal

    Paulo Alexandre explica que esses equipamentos são muito importantes para ampliar os leitos de UTI, reduzir a taxa de ocupação dos hospitais e, assim, avançar na reabertura das atividades econômicas na região. Com o recebimento destes respiradores até domingo, seria possível a retomada gradativa já na próxima semana. Uma das medidas deve ser liberar as igrejas para funcionarem com 30% de ocupação.

    “Quanto menor a ocupação dos leitos, mais flexibilizações podemos conceder. A questão da economia também depende desses respiradores. A saúde e a economia caminham juntas. Quanto mais investimentos fizermos na saúde, mais rapidamente poderemos reativar as atividades econômicas, reabrir os comércios e retomar a economia”.

    O chefe do Executivo municipal explica que, para começar a flexibilização, a taxa de ocupação dos leitos de UTI deve estar entre 60% e 70%. De acordo com ele, além de permitir a retomada do comércio, esse número também dará mais segurança para que as pessoas saiam às ruas, com a certeza de que terão atendimento da rede de saúde da região caso necessitem.



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda